CPRM PROMOVE WORKSHOP EM PARCERIA COM O SERVIÇO GEOLÓGICO DOS ESTADOS UNIDOS (USGS) SOBRE AVALIAÇÃO DE RECURSOS MINERAIS

PorAGEGO Goiás

CPRM PROMOVE WORKSHOP EM PARCERIA COM O SERVIÇO GEOLÓGICO DOS ESTADOS UNIDOS (USGS) SOBRE AVALIAÇÃO DE RECURSOS MINERAIS

CPRM PROMOVE WORKSHOP EM PARCERIA COM O SERVIÇO GEOLÓGICO DOS ESTADOS UNIDOS (USGS) SOBRE AVALIAÇÃO DE RECURSOS MINERAIS

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) promove pela primeira vez em parceria com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) workshop sobre avaliação de recursos minerais (mineral resource assessment). No total, 15 pesquisadores da CPRM que já trabalham com avaliação em recursos minerais irão participar do encontro entre os dias 9 e 17 maio, no Rio de Janeiro. O workshop Mineral Resource Assessment Techniques, Tools, & Applications apresentará técnicas geoestatísticas de quantificação de recursos não descobertos e novas metodologias de geração de mapas de favorabilidade, que podem gerar informações relevantes para impulsionar novos negócios do setor de mineração do Brasil. De acordo com o chefe da Divisão de Geologia Econômica (DIGECO) da CPRM, Felipe Mattos Tavares, o curso vai trazer para o Brasil novas ferramentas para trabalhar com a avaliação de recursos minerais, que já são amplamente utilizadas nos Estados Unidos e no mundo. “Trata-se de novas metodologias em benefício da indústria mineral para valoração de áreas, permitindo identificação do potencial de novos depósitos não descobertos em áreas prospectivas”, explicou. Para ele, a troca de conhecimento com o USGS representa mais um passo da CPRM em direção ao trabalho de fomento do setor mineral. Entre as ações a destacar estão os novos mapas de favorabilidade desenvolvidos em áreas potenciais para novas descobertas em diversas províncias minerais brasileiras. “Já avançamos bastante na área de mapas de favorabilidade. Aperfeiçoar a avaliação econômica dos recursos ainda não descobertos é a nova etapa do trabalho. Com o novo método, a CPRM se tornará apta a mensurar nas áreas estudadas quanto existe de recursos ainda não explorados e onde é mais provável encontrar novos depósitos. Para o mercado de mineração, esta informação pode representar redução do risco do investimento na exploração mineral”, relatou. Outro aspecto a destacar é o intercâmbio de nível internacional que o workshop representa, semelhante aos convênios já existentes da CPRM com o DERA (Alemanha), Serviço Geológico da China e SEGEMAR (Argentina) e com o próprio USGS na área de hidrologia. “Estamos buscando uma parceria estratégica com o USGS, que já existe no âmbito da água, para recursos minerais na área de assessment para trazer esse know how para os pesquisadores da CPRM”, destacou. Agenda de trabalho – O workshop contará com demonstrações e exercícios interativos de avaliação de recursos minerais, incluindo delineamento de áreas favoráveis para hospedar depósitos não descobertos e simulação probabilística de quantificação de recursos não descobertos. Incluirá modelagem de potencial mineral para geração de mapas de favorabilidade do tipo knowledge e data driven, novas técnicas de Big Data e ferramentas de visualização de dados utilizadas pelo USGS para auxiliar na avaliação de recursos minerais, adaptações para o Brasil, considerando as características do GeoSGB e ferramentas de software para avaliação de recursos minerais. Também haverá viagem de campo de três dias no Quadrilátero Ferrífero, uma das áreas-piloto para aplicação das novas metodologias. A região de Minas Gerais, produtora de ouro e ferro, foi escolhida para projeto piloto por ser uma província madura, com muitas informações disponíveis, mas com potencial para novas jazidas de ouro a serem descobertas. Estarão no Brasil para ministrar o curso os pesquisadores da USGS: Mark Mihalasky, especialista em mineral resource assessment e Joshua Coyan especialista em geologia estrutural e interpretação de dados sísmicos e de poços, modelagem 2D e 3D e geoestatística. Assessment – Avaliação de recursos minerais fornece dados e informações tanto para governos quanto para a indústria para tomar decisões sobre exploração de recursos minerais. Enquanto o inventário mineral está focado em recursos minerais conhecidos, as avaliações de recursos minerais (mineral resource assessment) são usadas para documentar áreas onde há probabilidade de existência recursos não descobertos. As avaliações de recursos minerais do USGS foram realizadas em todo o mundo para vários tipos diferentes de depósitos minerais. Essas avaliações atraíram com sucesso interesse e investimento em setores minerais locais e regionais.

Fonte: CPRM/ADIMB

Sobre o autor

AGEGO Goiás editor